quarta-feira, setembro 06, 2006

Perdas..

Steve Erwin, conhecido como «Crocodile Hunter», morreu segunda-feira dia 04/09 ao ser atingido pela cauda de uma raia.
De acordo com Bryan Fry, director da Australian Venom Research Unit, unidade de pesquisa de substâncias venenosas, na Universidade de Melbourne, uma picada de raia é "extraordinariamente dolorosa”, mas os casos mortais são muito raros. O responsável explica que o veneno libertado pela raia funciona como uma arma de defesa e não é letal, mas as farpas que compõem a cauda do animal, e que podem atingir os 20 centímetros, são as principais causadoras da morte. "O problema não é quando entram, é quando saem", provocando lesões muito graves no corpo da vítima, esclareceu Bryan Fry.
Irwin sabia os riscos que corria no seu trabalho, mas as suas performances destemidas e excêntricas com animais perigosos, nomeadamente com crocodilos, o seu animal favorito, e que ficariam registadas em várias séries televisivas e no filme "Crocodile Hunter", de John Stainton (2002), onde desempenhou o papel principal, pareciam negar essa consciência.
A sua carreira ficaria marcada por episódios bizarros, que provocaram fortes polémicas, quando aproximou o seu filho recém-nascido Bob de crocodilos e tubarões. Justificaria depois o acto com a necessidade de desmistificar os perigos da natureza junto do público.
Não sei se desmistificou alguma coisa. Talvez pelo contrário, tenha mistificado.
Ao nivel do que fizeram grandes embaixadores da vida selvagem como Jacques Cousteau e David Attenborough.

Se houve lágrimas de crocodilo, elas foram verdadeiras.

2 Comentários:

Blogger el magnifico disse...

Mais um amante da Natureza e do que ela tem de mais precioso (para mim) que são os seus animais (irracionais) que morreu a fazer o que mais gostava e que o próprio pai dispensou funerais de pompa e circunstância explicando ao mesmo tempo que o filho queria ser visto como uma pessoa normal. Este homem que morreu costumava dizer aos amigos que se alguma morresse seria no mar e não em terra já que em terra teria reflexos e experiência de situações vividas para poder sobreviver, e que no mar não era o seu elemento e como tal...foi-lhe fatal. Mas de certeza que no tempo em que viveu, viveu muito mais e sentidamente que muitas pessoas de 80 ou 90 anos por esse Mundo fora. Que fiques em paz Crocodile man!"

2:06 da tarde  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Sempre achei que ele incomodava um tanto as criaturas e o achava fanfarrão. Não entendi direito como pode receber uma ferruada certeira no coração... Devia estar agarrado a ela que muito naturalmente, se defendeu. E sabemos todos que um dia é da caça e o outro do caçador... Nem sempre nesse mesma ordem...

Beijo,
Cris

9:15 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial