segunda-feira, setembro 04, 2006

Lavagens..

O maior derrame de óleo de sempre nas Filipinas foi perpetuado pelo petroleiro Solar I nas imediações da ilha Guimaras. O naufrágio decorreu no dia 11 de Agosto e numa fracção já comparável à que o Exxon Valdez derramou no Alaska em 1989.
O Solar I transportava cerca de 2 milhões de litros de combustível. Já foram contaminados 220 km de costa. "Não temos equipamento necessário para recuperar navios a essa profundidade", disse o porta-voz da guarda costeira filipina, Joseph Coyme. O arquipélago filipino é um dos centros mundiais da biodiversidade mundial, mas também um dos mais ameaçados de extinção. A Greenpeace respondeu ao pedido de ajuda internacional das autoridades locais e já enviou um dos seus barcos com o fim de ajudar a minimizar os efeitos sobre a fauna, flora e sustentabilidade económica da zona. Além disso pretende avaliar e determinar os danos causados pelo derrame nas reservas marinhas e nos ecossistemas costeiros.

Esperanza Garcia, mãe do governador Gwendolyn Garcia em visita ao barco insígnia da Greenpeace “Esperanza” presente no local do derrame
“Quando era pequena perguntei ao meu pai porque me chamaram Esperanza. Ele disse que Esperanza significa esperança, e que quando eu nasci eu era a esperança da familia.
Para os filipinos o Oceano é a sua vida. Especialmente os pobres que necessitam dele para sobreviver. Somos um país do oceano, 7200 ilhas rodeadas por mar. A cooperação de toda a gente é necessária para mantê-lo limpo. Não devemos deitar-lhe lixo. Não devemos pescar peixe demasiado pequeno, mas pelo contrário proteger a vida no oceano. Devem existir áreas protegidas como as reservas marinhas que já criámos. Penso que estas reservas podem ser exemplos para outros países, eles podem aprender dos Filipinos.
É uma boa altura para o MV Esperanza chegar aqui, quando estamos ameaçados pelo derrame de óleo em Guimaras. O Esperanza trouxe esperança que este óleo será contido e não se espalhará pelas outras ilhas. Não poderiam ter escolhido um nome melhor para este barco. Onde a Esperanza vai há esperança no coração dos homens.”
______________________________________________________________

O negócio do petróleo é sujo. Tão sujo quanto os danos que provoca. Basta pensar na forma como a maior exportadora Russa de petróleo a Yukos passou das mãos do magnata Khodorkovski, conhecido pela sua oposição ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, para as mãos de terceiros numa hasta pública, tão transparente quanto a cor do petróleo.
O magnata foi detido e condenado a nove anos de prisão sob acusações de fraude, fuga fiscal e outros crimes económicos. Poucas duvidas ficaram de que o Kremlin desmantelou propositadamente o seu império petrolífero. Quem agradeceu? Quem lucrou?

Obviamente Putin e os outros magnatas envolvidos no negócio que todos sustentamos. Roman Abrahmovic e Alexandre Gaydamak, que agora se divertem a gastar e lavar esses milhões num negócio tão sujo quanto o do petróleo, o do futebol. E aproveitam clubes como o Chelsea, Portsmouth, Dínamo de Moscovo para espalhar esse dinheiro sujo pelo resto do mundo. Como fazem com o "seu" petróleo.

3 Comentários:

Blogger el magnifico disse...

Enquanto houver petróleo há interesses, enquanto houver interesses há lucros, enquanto e onde houver lucros há o Homem e onde estiver o Homem..
Na Rússia impera tudo menos o bom senso, então depois de ter acabado a guerra fria, os russos viraram-se para as matérias que mais possuem e valem-se disso para obter lucros não se sabe para quem e muito menos para o quê. Onde houver petróleo o bom senso escasseia e prevalece a ganãncia e o pior que o ser humano tem, por isto que escrevi e por muito mais é que é preciso urgentemente alternativas ambientais ao petróleo que mexe com muitos milhões e que é motivo de grandes esquemas pouco claros como os filmes ás vezes nos fazem questão de explicar!

12:32 da tarde  
Blogger Hanah disse...

Olá amigo passei por aqui para dar um alô e deixar este link....

http://video.google.com/videoplay?docid=-5923245618644065423

EARTHLINGS (Terráqueos) é um documentário sobre a absoluta dependência da humanidade em animais (para companhia, comida, roupa, entretenimento, e pesquisa científica) mas também demonstra nosso completo desrespeito por estes chamados "provedores não-humanos."
Poderoso, informativo e provocador, EARTHLINGS é de longe o documentário mais compreensível já produzido na correlação entre a natureza, animais, e os interesses econômicos humanos. Existem muitos filmes valiosos de direitos dos animais, mas este transcende o cenário. EARTHLINGS grita para ser visto.


um beijo do tamanho da terra....

Hanah

2:25 da manhã  
Blogger MIAKODA disse...

nós curtimos é carros...e a liberdade que nos dão para nos enfiarmos no transito...e passados alguns anos precisamos de ter um novo porque o velho já não parece bem...aliás nós adoramos o cheiro que eles emanam...tratamos melhor os carros do que o resto do mundo,limpamos cuidadosamente qualquer mancha,despejamos os cinzeiros,compramos cheirinhos,enfim, é uma união de facto...
Ainda por cima infelizmente os carros não são a única coisa que utiliza petróleo...

11:04 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial