sexta-feira, setembro 08, 2006

Laços de Linces

Programa de recuperação em cativeiro do lince Ibérico
El Acebuche - Parque Nacional de Doñana

AdelfaFêmea de Serra Morena, nascida em 2004, foi capturada e incorporada com poucos meses de vida no programa de crias em cativeiro. Está enamorada de Cromo.

Morena

Fêmea nascida em 1990. Foi recolhida na Serra de Andújar com apenas dois meses de idade. É a mais velha de Acebuche (Doñana). Vive com Arcex.


Jub
Macho de Serra Morena nascido no ano 2000. Foi recolhido em 2003 com múltiplas feridas, provavelmente de uma luta com outro macho. Pai de Corcho e Synara. Seis décadas depois uniu geneticamente as populações de Serra Morena e Doñana.


Garfio
Macho de Serra Morena nascido no ano 2000. Foi capturado quando tinha 3 anos. Em 2005 engravidou Saliega (a primeira cria de lince ibérico nascida em cativeiro). Ainda está pendente de saber se é o pai das crias de Saliega nascidas em 2006.


Esperanza e Corcho
Esperanza - Fêmea nascida em 2001. Recolhida com apenas 5 dias de vida, foi criada a biberão. Com Jub teve dois filhotes, Corcho e Cynara. O pequeno Corcho (na foto) morreu dias depois.


Cynara
Nascida em 2006. Filha de Jub e Esperanza. Foi abandonada pela mãe nas primeiras horas. Está a ser criada a biberão.


Cromo
Macho de Serra Morena nascido em 2003. Foi recolhido com numerosas fracturas e feridas. Teve dois filhos com Aliaga, os quais faleceram à nascença. Os filhos de Saliega nascidos este ano poderão ser dele.


Camariña e castañuela
Ambas fêmeas nascidas em 2006. Filhas de Saliega e ou Garfio ou Cromo. Provas de paternidade ainda estão em análise.


Brisa Nasceu em Acebuche (Doñana). Filha de Garfio e Saliega.


Brezo

Primeiro macho nascido em cativeiro. Filho de Garfio e Saliega.

8 Comentários:

Blogger el magnifico disse...

Obrigado amigo por me proporcionares um pouco de "Esperanza", alegria, orgulho e honra ao poder ver estas belas e magnificas imagens do animal que mais aprecio e admiro neste Universo. Fico tão contente ao ver as crias de Lince e os seus progenitores que são de uma beleza incomparável (para mim) e pensar que em Portugal se fôssemos "um pouco" mais organizados e preocupados poderíamos ter também um programa sério e responsável de recuperação do Lince Ibérico tal como o Lobo Ibérico, outro animal fantástico que tive a honra e o prazer de os ver ao vivo graças a ti. Imagens soberbas de rara beleza como só o Lince me consegue proporcionar e respectivas legendas a explicar o conteúdo, obrigado mais uma vez por me proporcionares este momento realmente zen. Fico muito contente pelo Lince e por ti que te preocupas mesmo.

2:21 da tarde  
Blogger Vida disse...

Lindos demais, o olhar deles prende-nos. Lindo quem se entrega à recolha destes animais magníficos para assegurar a sua sobrevivência.

Beijos.

8:53 da tarde  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Eles são majestosos, mas os bebezinhos... Esses são indescritíveis!!! São lindos demais e os olhos são especialíssimos!!!

Muito lindos e tanto quanto é quem tenta preservá-los!!! Ainda bem que há loucos, a despeito dos santos...

Beijos pro teu final de semana!!!
Cris

9:06 da tarde  
Blogger Jardineira aprendiz disse...

Prazer em conhecer! Os linces e a esperança!
Beijos

12:29 da manhã  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

2:15 da tarde  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Obrigada mesmo por teres ido visitar minhas escudeiras!!!

Gostei que tenhas dito que tu gostou da Mhabu, pois a coitada carrega o estígma da raça mais mal quista e que em nada condiz com o comportamento real desses cães. São dóceis, carinhosos e extremamente obedientes. Excelente mães. Ele é novinha ainda e é filha de grandes campeões. É muito linda e companheiríssma. Muito obdiente mesmo e conheço outros, que são também muito tranquilos. Obviamente são cães fortes e quem tem animais em casa, presume-se que os tratem bem.
Adoro todos os meus bichos e eles são mesmo muitos. Por vezes penso que seria bom viver em um local menor, mas me lembro deles e vou ficando...

A Khalôa é a mais velhinha. Tenho medo do dia que ela se for e sei que terá de ir um dia, mas espero mesmo que ela dure muito, pois não me conformo em perdê-la. Ela é a que aparece de braços cruzados e é simplesmente maravilhosa e ela dorme sempre dentro de casa, na cama dela, que é com colchão e roupas de cama. Ela é moça fina e educadíssima. A Makamba é a filha e é a maior delas todas e acima da altura da mãe. A Makamba pesa mais de 100 kg. As duas possuem altura e peso muito acima da média das fêmeas da raça. A Mkamba é uma doida destrambelhada e não tem a menor noção do tamanho e da força que tem. Jura por tudo que é um cão de brinquedo, do tipo desses de madames e por fim, a Ananza, que é minha gorda mais safada e que ensinou tudo que não presta para a Makamba e para a Mabhu. A Khalôa não se mistura nas folias dessas tres. É mais recatada e gosta mesmo é de ficar comigo e de andar de carro. Disso ela adora!!!

Obrigada por tua visita!!!

Beijinhos,
Cris

2:20 da tarde  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Saiu dobrado e apaguei uma. Desculpas com mais 1 beijo!!!
Cris

2:21 da tarde  
Blogger Angela Ursa disse...

Hugo, que lindos esses linces! E o programa que cuida deles está de parabéns!! Beijos da Ursa diretamente da Floresta :))

9:58 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial