terça-feira, janeiro 09, 2007

Portagens no Gerês..

Pois é amigos de caminhadas, tal como já subtilmente tinha sido sugerido em Outubro pelo "nosso" presidente (o tal do lobbie do betão, responsável pelas muitas alterações de pdm's e que tornou o país numa selva de alcatrão e cimento recheando os bolsos dos contrutores civis) na sua ultima visita à Vila do Gerês, começaremos a pagar para visitar o nosso sitio de eleição.

Para atravessar a Mata da Albergaria (fantástica para quem não conhece..) será cobrada uma taxa de acesso, cobrada pelo Instituto da Conservação da Natureza e que segundo eles "constituirá fonte de receita deste instituto, devendo o resultado da sua aplicação ser afecto a acções de gestão e conservação da mata". A taxa é de 1,50 euros por dia de circulação.

No minimo...vergonhoso. A Mata da Albergaria está como está por causa dos Euros??? Ou porque o homem não lhe tocou? Se querem realmente conservar é só impedir a circulação de viaturas que a Mata agradeçe. Este Instituto não merece de facto o nome que ostenta... factos mais recentes:
  • Três centros de recuperação de animais selvagens vão fechar depois de o ICN ter colocado um ponto final no protocolo que mantinha com a Quercus e a Liga para a Protecção da Natureza;
  • As povoações de Arrifana, Vale da Telha, Monte Clérigo e Espartal aguardam há já 4 anos que o ICN e o parque natural Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina autorizem a construção de ETAR's (estações de tratamento de águas residuais);
  • O Rali Lisboa-Dakar atravessa três zonas classificadas da Rede Natura 2000 no Alentejo e Algarve. O ICN é conivente com o trajecto.
  • O projecto da empresa Pescanova prevê a criação de um megaviveiro em plena zona de Rede Natura no concelho de Mira. Na Galiza o projecto foi rejeitado por questões ambientais por cá já foi visto pelo ICN que não levantou objecções.

Ainda me recordo de ver na RTP no excelente programa "Planeta Azul" os senhores do ICN, pelas mãos do Sr. Sérgio Borges, terem morto duas leoas e um tigre quando os resgatavam dum Zoo ilegal, por dosagem errada de tranquilizante.

Amigos de caminhadas conservação à maneira deles e com o nosso dinheiro..não farão!

6 Comentários:

Blogger Avusa disse...

Parece-me a mim que o ICN não cumpre muito aquilo a que se lhes pedia…

10:05 da manhã  
Blogger MIAKODA disse...

por mim é mais uma das "regras da sociedade", que eu faço questão de não respeitar, e com todo o gosto..

quanto ao resto **** sem palavras

2:12 da tarde  
Blogger Paulo Almeida Santos disse...

Este é, de facto, um assunto bastante sensível. Em qualquer país civilizado seria impensável existir duas estradas abertas à circulação, atravessando a área mais sensível do único Parque Nacional existente. Trata-se de uma situação há muito instituída e da qual o poder autárquico local não abre mão, apesar de haver muitos responsáveis do PNPG que são frontalmente contra. Falta de coragem política dos órgãos competentes, nomeadamente do ICN? Penso que sim... O bom exemplo dos Lagos de Covadonga e do Vale de Ordesa estão mesmo aqui ao lado...
Das duas estradas existentes, aquela que mais me deixa revoltado é o estradão da Bouça da Mó que, simplesmente, não serve ninguém, com excepção dos domingueiros que por aí se passeiam ao fim-de-semana.
Tenho esperança que esta seja a 1ª medida para o encerramento da(s) estrada(s) num futuro próximo.

Parabéns pelo post, bastante pertinente

Abraço

8:47 da tarde  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Estamos todos na mesma praia... A diferença está somente no modo de olhar para ela, adotado por de cada um de nós!!!

Obrigada pela tua visita e... Apareça!!! Hoje o dia está radiante e o mar em tom verde esmeralda!!! A praia promete!!!

Beijo de bom final de semana!!!

Cris

9:54 da manhã  
Blogger Formiguinha disse...

Que absurdo!

6:33 da tarde  
Blogger ljma disse...

Desculpem, não li a portaria nem estou muito por dentro da realidade do Gerês. Mas, aqui na "minha" serra da Estrela, defendo limitações ao trânsito automóvel. Com ou sem portagens, acho que são uma boa coisa. Ora, esta portaria não cobra o acesso a ninguém, apenas aos carros.
Acho que devemos criticar o ICN por estar, com mais ou menos responsabilidades, ligado ao aparente estado geral de penúria das áreas protegidas, ou por não tomar posição quando (achamos que) deve. Mas uma medida que limita um pouco mais o acesso dos carros a uma área protegida, que encoraja um pouco outra coisa que não as tradicionais voltinhas tristes, a mim não me parece mal.

11:05 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial