sábado, abril 15, 2006

Uma mágoa real

A Águia real é uma das maiores conhecidas espécies de aves, alcançando 95 centímetros de comprimento e 2 metros de envergadura. A esperança média de vida é de cerca de 40 anos, embora haja casos em cativeiro em que atingiram os 95 anos.
Em Portugal, no Parque Nacional da Penada-Gerês resta apenas uma águia-real.
Todos os anos, por altura da época de acasalamento, faz tudo como se fosse chocar os ovos transporta paus, faz o ninho... só não procria. O macho morreu há cerca de 3 anos.
O abandono a que foi e está sujeita esta águia-real, que ainda vive na serra da Peneda, ilustra bem a preocupação e o respeito que se tem pela conservação das espécies em Portugal. Nenhuma!
Aparentemente não seria difícil repovoar a zona com águias juvenis trazidas das arribas do Douro Internacional mas isso implicaria medidas dos responsáveis e como a responsabilidade e o respeito não existem, nada foi feito.
No Douro, a espécie avança para a extinção quer por escassez de alimento quer pelo fenómeno do cainismo (o indivíduo, no caso o irmão mais velho, mata o mais novo).
Outro dos factores de mortalidade desta espécie é o envenenamento, normalmente com o uso de estricnina para os Lobos mas com consequencias igualmente em Grifos, Abutres e Águias Reais.
Num dos últimos rios selvagens da Europa e ainda zona de procriação da Águia Real, o Rio Sabor, cresce a ideia de construção de uma barragem. Será por ela?
O Urso Pardo e a Cabra Montês já desapareceram impune e silenciosamente. E esta Águia?
Talvez só pertença ao Céu e não á terra.

9 Comentários:

Blogger aprendiz de viajante disse...

òh guerreiro... se eu pudesse entregava o destino do nosso planeta nas tuas mãos!!! serias o lider perfeito! os teus textos são informativos, sensibilizadores, e... Bonitos, têm ALMA!

Um bjinho e boa Páscoa!

12:47 da manhã  
Blogger Angela Ursa disse...

Hugo, eu fico triste de saber que mais um animal está correndo risco de extinção. Tomara que sejam tomadas providências antes que seja tarde demais.
Aproveito para desejar uma ótima Páscoa para você e seus familiares. Beijo da Ursa

6:25 da manhã  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Querido...

Não entendi direito o emprego da estricnina... Esse veneno causa uma morte terrível... Qual o sentido disso??? Para quem afinal é a estricnina???

Quem a usa para os animais, podia muito bem se enganar em um momento qualquer e sorver do próprio veneno... Seria um ganho e tanto para o meio...

Beijinhos e desculpas...
ò,ó

7:36 da tarde  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Hoje estou um tanto perdida...

E o que fazem todas essas aves extendidas??? Que diabo é isso???

Eu seria um inferno como ministra do meio ambiente!!! Segundo meu filho, eu não duraria viva nem mesmo meia hora depois da posse!!!

Eu não entendi mesmo nada do que mostras e falas aqui e se puderes, me escreva... Para que eu possa ficar com um pouco mais de raiva, mas ao menos sabendo corretamente o que acontece...
Beijo!!!

7:39 da tarde  
Blogger Desambientado disse...

Votos de uma Boa Páscoa.

11:10 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Infelizmente soube desta muito triste realidade pela TV, e quase que me vieram as lágrimas aos olhos de tanto desprezo e abondono a que foi votado esse belo animal. Não sabia que o Urso-pardo e a Cabra montêz tambem já foram extintos pelo nosso silêncio e falta de ajuda, e agora resta apenas uma Águia-Real que vive sozinha e é um exemplo para todos nós de resistência e beleza..
É só "mais um" animal que é votado ao esquecimento e que senão forem ambientalistas ainda a conseguirem chamar a atenção para a vergonha que é "esquecermo-nos" de cuidar da última Águia-Real, secalhar nem saberíamos nada disto. A quem compete cuidar e saber tratar destes casos, andam muito preocupados com a gravata que usar e os sapatos que engraxar!! Até as pessoas idosas das aldeias do Peneda-Gerês sabem a importância de animais como a Águia-Real continuaram a viver, sim porque se trata de uma questão de sobrevivência, tendo chegado uma senhora a dizer: "Ao menos quando esta Águia morrer, que tambem nós morramos.." dizendo depois que antes existiam tantos animais por lá e que agora..existe o vazio e a solidão!

5:15 da tarde  
Blogger ljma disse...

A aparente falta de iniciativa dos responsáveis do ICN (ao nível central e ao nível local, nas direcções das Zonas protegidas) é confrangedora! Aqui na Serra da Estrela havia lobos, quando eu era miúdo. Criou-se o PNSE, há já 30 anos, chegaram a ter lobos em cativeiro, mas onde é que estão? Não se avançou nada. No Gerês, não sei como é, mas aqui o Parque ainda é criticado (por autarcas e "forças vivaças") por impedir o desenvolvimento, por não deixar construir à toa, impedir o alargamento das estradas, etc, etc. A degradação que impera parece não ser suficiente! Não seremos todos mais do céu do que da terra (desta terra, pelo menos)?

6:02 da tarde  
Blogger greentea disse...

este país é assim.
hoje não tenho grandes paalvras mas fico a meditar no assunto.Bjs

8:29 da manhã  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

rigada por tuas explicações e por teres comentado na Fátima Silva, a carta do ex ministro, a respeito da internacionalização da Amazônia.
Beijos querido!!!
ò,ó

11:27 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial