quarta-feira, outubro 25, 2006

Para o Nazareca..

Seguindo o apelo da amiga Maria de São Pedro do blog luadoslobos.blogspot.com fui até Quiaios oferecer a minha ajuda no centro de recuperação da vida selvagem. Pertencente à SPVS – Sociedade Portuguesa de Vida Selvagem www.socpvs.org, recebeu à pouco mais de um mês um golfinho recém-nascido (espécie baleia-piloto), o Nazaré.

As circunstancias em que deu à costa na Nazaré (daí o seu nome de baptismo) são desconhecidas, podendo ter sido abandonado, a mãe ter morrido ou simplesmente ter-se perdido. Circunstâncias à parte, era necessário ajudá-lo na sua luta pela sobrevivência. É o que vai sendo feito em Quiaios, perto da Figuera da Foz, pelos biólogos responsáveis e todos os voluntários que vão dando o seu contributo por turnos, 24 sobre 24 horas.


Quem quiser saber mais e/ou ajudar, visite: Ele
Poder ajudá-lo é gratificante...mas poder tocá-lo é qualquer coisa que nos deixa drogado. Dava-me para rir. Por vezes assusta pois fica muito tempo debaixo de água sem respirar, de barriga para cima, e deixa-nos na duvida se está bem e se só quer mesmo festas e mimos.
Quando é contrariado faz birras e emite sons deliciosos. Continua ruim para comer...

O "pequeno" "Nazareca" é uma prova viva da sensibilidade desta espécie e de tantas outras suas similares. Falar dele é também falar dos seus tios adoptivos Paula, Jorge e Marisa, sempre presentes!

O seu futuro
Vindo dar à costa de uma sociedade economicista, o futuro do Nazaré poderá passar por aquela que é a mais rentável das soluções, o jardim zoológico de Lisboa. Infelizmente a sua devolução ao meio selvagem implica vontade de todas as partes, e investimento nele. Teria de ser ensinado, teriam de se lhe dar condições, teria de haver intercâmbio com outros países, com outros elementos da sua espécie. Mas ele é o único da sua espécie em recuperação na Europa por isso mantê-lo em cativeiro é tentador e pode vir a ser rentável.

Não quero emitir juízos de valor, gosto do conceito de conservação em que o animal é recuperado e devolvido ao seu meio. Se não for possível, que ele seja tratado como merece e que consiga ser feliz.

O nosso futuro
Portugal podia ser grande. Podia ser enorme. Pioneiro na recuperação e no estudo das espécies marinhas que vão habitando e morrendo nas nossas costas, uma das maiores da Europa.
Infelizmente tenho que dizer que apesar de toda a qualidade e entrega dos Biólogos e responsáveis pecamos pelo amadorismo, pela boa vontade das pessoas, pelo desenrasca.

Como é possível não investir em pessoas e instalações realmente capazes de fazer ciência, de estudar, evoluir e mostrar ao resto do mundo que o caminho do conhecimento passa por explorar, por aprender e entender como fazer, por arriscar, como os nossos antepassados fizeram na descoberta do novo mundo quando se lançaram em pequenas caravelas além-mar.
Mas as prioridades sempre foram outras, falar nelas para quê? Venham os automóveis topo de gama, os submarinos, os centros comerciais, os estádios de futebol..e com tantos mundos ainda por descobrir..



1 Comentários:

Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Esse bebezinho é uma coisa estonteante!!! lindo demais!!!
Eu tenho um amigo biólogo, que faz readaptações de golfinhos à vida marinha e me lembrei dele tão logo vi teu post.

Fico feliz que estejas aproveitando a infância desse bebezinho, bem de perto!!!

Beijo,
Cris

3:38 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial