quinta-feira, maio 25, 2006

Selecção animal 2

Cada um tem as suas convicções.
É considerado um dos melhores jogadores de futebol de sempre.
Foi considerado por muitos o melhor jogador no campeonato do mundo de 1974.
Porte elegante, técnica refinada. Era completo em campo. 4 anos depois mostrou-se completo fora dele. Johannes Cruyff recusou ir ao campeonato do mundo de 1978 conforme tinha prometido a sua mulher Danny e como forma de protesto contra a ditadura militar que a Argentina, país organizador, vivia. Centenas de pessoas haviam sido mortas e até mesmo o presidente do comité organizativo da campeonato do mundo Omar Actis tinha sido assassinado pelas guerrilhas.
Contrário à ditadura militar instaurada no país sede pelo general Jorge Videla, o holandês boicotou o Mundial.

Antes de pensar em se tornar profissional de futebol, Cruyff enfrentou sérios problemas na infância. Aos 10 anos, ainda usava aparelhos ortopédicos devido a um defeito de formação nos pés. Pequeno e magro, tinha dificuldades em correr, até que sua mãe foi trabalhar no Ajax como empregada de limpeza e, achando que o futebol ajudaria o filho a desenvolver as pernas, colocou-o nas divisões de base do clube. Nunca usou outro número que não o 14. Dizia que este era o seu número da sorte, a idade que tinha quando se tornou campeão pela primeira vez. A sua carreira fala por si, muitos foram os títulos apesar de nunca ter sido campeão do mundo com o seu país.
No Hilton de Amsterdão logo após a vitória sobre a Bélgica que qualificava a "laranja mecânica" para o campeonato do mundo de 78 o jornal holandês ‘De Telegraaf’ organizou uma mega festa de celebração. Aí juntaram-se mais de 500 figuras publicas holandeses da época e a festa durou até às 6 da manhã. Os cantores famosos da altura entoaram então canções de pedido para que Cruyff voltasse a vestir a camisola laranja no mundial. Ele que já havia prometido não participar.
As canções acabaram por ser um preâmbulo de uma acção nacional para convencer Cruyff.
Os jornais e as televisões juntaram-se. Milhares de assinaturas foram recolhidas, no objectivo denominado "convencer Cruyff". O entusiasmo das pessoas em redor desta campanha era avassalador. Todos estavam em sintonia, imprensa e publico, mas faltava o mais importante, o objectivo esperado.
Cruyff disse o seguinte "Não me apetece explicar todas estas coisas porque apenas vão lançar mais discussões e não gosto disso. Tomei uma decisão e fico com ela".


Não gosto de julgar os outros, mas também tenho as minhas convicções. E por cá continuo a achar que temos uma selecção animal e sintética e nenhum dos jogadores marioneta demonstra sensibilidade. Nenhum se manifestou por serem vestidos pela estilista Fátima Lopes. Ela que continua a usar em si e nas suas criações peles verdadeiras. Um luxo que alimenta o sofrimento de muitos animais.

Para um casaco de peles são necessárias 30 como ela...

8 Comentários:

Blogger bolotavoadora disse...

Venho sugerir uma visita ao meu blog, luto pela criação de ciclovias no meu concelho (entre outras coisas).
Gostaria de contar com o vosso apoio, incluindo-me na vossa lista de (links) blogs, já consta da minha lista.
Abraço.

4:23 da tarde  
Blogger Janelas da Alma disse...

eu continuo a achar que a pele da Fátima Lopes faria uma excelente cueca-calção, para ser usada, alternadamente, pelos nossos queridos jogadores da Liga de Palhaços!...
Desculpa lá a frieza das palavras, mas já não há quem aguente mais hipócrisia nessa terra onde o Futebol, as Telenovelas, e a Religião continuam a estar à frente de tudo e de todos!...

Um abraço para ti, e obrigado pelo teu trabalho. Um dia, pode ser que eles acordem!...

Nuno Osvaldo

12:17 da manhã  
Blogger ljma disse...

E, posso acrescentar ao que as janelas da alma enumeraram, o fashion! Futebol, Telenovelas, Religião e fashion!
Boa, boa, grande artigo!

2:37 da manhã  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Mas cá entre nós... Ela é mesmo tão feia e burra, que pensa que usando as peles conseguirá chamar atenção... Chamaria muito mais se fosse contra a aproveitasse aposição que tem no mundo da moda, para posicionar-se contra... O que lhe falta é cérebro e como o interesse em aparecer por qualquer custo é gramde, talvez se alguém se dispuser a lhe dizer que se usar uma gatinho vivo ao colo, ela dará muito mais o que falar... Ou quem sabe um desfile com modelos acompanhadas de seus cães VIVOS, diga-se de passagem... Essa ái me parece ser mais fácil de ser convencida. Essa é burra e feia. O problema mesmo será convencer a indústria de pelaria e as madames e dondocas ignorantes!!!

Gostei do comentário do Nuno!!!

Beijinhos Hugo!!!
Bom domingo!!!

9:08 da tarde  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Por favor ignore meus sucessivos erros, pois além da cegueira, estou em um teclado que não techa as letras...

Beijos!!!
Cris

9:10 da tarde  
Blogger Mar disse...

Olá Hugo gerreiro. Obrigada pela força onde.. errei! Mas.. voltando neste teu último post.. vc acertou direitinho na rede com esta mensagem. Vc é um bom jogador do bem.. e, o bem precisa unir forças em pontos do planeta Hugo. As vezes a sintonia enfraquece um pouco mas.. não podemos deixar a sintonia se perder. Amo o guerreiro que existe em vc.. demais mesmo.
Abraços,
Mar

1:25 da tarde  
Blogger Angela Ursa disse...

Hugo, matam 30 raposas para fazer um casaco de pele! Que absurdo! Beijos da Ursa

10:38 da tarde  
Blogger Joao Soares disse...

Vim dizer-te que colcoquei uma nota para a tua denuncia no meu blogue Bioterra http://bioterra.blogspot.com.
Pois é...infelizmente o marketing é agressivo e adormece as mentalidades....só uma maior consciencia animla dos nossos jogadores de futebol enquanto cidadãos é que virá a força para a mudança...Até lá vamos alertando nós e aumentando a consciencia ambiental.
Abraços

11:12 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial