terça-feira, junho 12, 2007

Ainda e sempre.. Fernando Pereira

Fernando Pereira foi a única vitima mortal do afundamento pelos serviços secretos franceses do veleiro Rainbow Warrior em Julho de 1985 na Nova Zelândia. O fotografo português participava numa campanha da Greenpeace contra os ensaios nucleares franceses no atol de Muroroa, no Pacífico Sul.

Numa reportagem que esta semana o semanário Sol publicou
(http://sol.sapo.pt/EdicaoImpressa/Tabu.aspx) e na qual dedicou meritóriamente três páginas ao (meu amigo) Luis Ferreirim, soube por ele que ficou só a faltar a justa homenagem ao Fernando. Assim, aqui a faço, sabendo que embora por cá poucos lhe dediquem a atenção que merecia, lá fora se continua a lutar por aquilo a que muitos chamam de justiça.

Louis-Pierre Dillais já assumiu em 2005 o envolvimento directo que teve no afundamento do Rainbow Warrior que vitimou Fernando Pereira.
A Greenpeace continua a exigir a sua extradição dos EU onde vive e ocupa um cargo executivo na empresa FN Herstal, filial de uma fabricante de armas belga, fornecedor de FBI e Pentágono. Soube-se através dos agentes secretos na altura detidos Dominique Prieur e Alan Mafart que o presidente Mitterrand deu o sim à operação.

Também o irmão da candidata presidencial francesa Segolene Royal esteve envolvido no bombardeamento do Rainbow Warrior. Gerard Royal foi segundo confessou outro dos seus irmãos, Antoine Royal, o agente que colocou a bomba no casco do veleiro insígnia da organização.

Fernando foi a única vitima mortal do bombardeamento. Era também o único dos cerca de 15 membros da tripulação que tinha filhos.

2 Comentários:

Blogger Angela Ursa disse...

Hugo, obrigada por compartilhar a história desse herói do Rainbow Warrior. Beijos da Ursa

5:58 da manhã  
Blogger http://lili-one.livejournal.com/ disse...

Obrigada, pela sua partilha.
Beijo.

11:43 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial